Novos conceitos de hotéis oferecem experiências inovadoras e aumentam competitividade no mercado de hospedagem

Novos conceitos de hotéis oferecem experiências inovadoras e aumentam competitividade no mercado de hospedagem

Veja como os hotéis se adaptaram aos novos tempos e oferecem uma série de novidades e novas experiências para os hóspedes da geração y.

Antigamente, quem precisava encontrar um hotel teria como seus aliados apenas uma grande lista telefônica e uma boa dose de paciência. Era preciso ligar para várias pessoas, fechar a reserva e viajar até o local confiando que o quarto se encaixava na descrição passada pelo interlocutor.

Hoje, com o apoio da internet, isso felizmente mudou para muito melhor. Temos opções, comentários e recomendações à distância de um clique. A evolução chegou a tal ponto que a maior concorrente dos hotéis, atualmente, é uma rede hoteleira que não é dona de sequer um quarto e não teria como existir antes dos anos 2000: o AirBNB.

Todas essas mudanças transformaram o mindset dos turistas, que buscam o máximo de experiências por preços mais atrativos. No entanto, ao contrário do que parece, se hospedar em um quarto ou uma casa do AirBNB pode não trazer tantas vantagens assim quanto um hotel.

AirBNB x Hotéis

Embora os preços muitas vezes sejam mais atrativos, no AirBNB as taxas de serviço e limpeza encarecem a hospedagem. Além disso, a região nem sempre é segura ou o ambiente oferece proteção contra riscos. A limpeza também pode não ser tão adequada e nem sempre há comodidades como elevador, café da manhã, travesseiros, toalhas, orientações ou transfers.

Em compensação, os hotéis se transformam para oferecerem experiências que ainda não possuíam em seu modelo de negócio, tornando-os ainda mais competitivos e superiores à AirBNB e hostels. Com isso, proporcionam toda a segurança e conveniências já conhecidas do grande público com novas vantagens apreciadas nos outros modelos de hospedagem.

Um desses exemplos é o The Student Hotel, que tem uma estrutura 100% voltada para proporcionar acolhimento e conexões acadêmicas, profissionais e sociais entre seus hóspedes. A estrutura conta com diversos espaços comuns e de lazer para agradar os clientes.

As áreas coletivas e os quartos do hotel têm personalidade descolada, com uma decoração feita para criar a sensação de que se está na própria casa. Cozinhas compartilhadas, academia, lavanderias de autoatendimento e salas de vídeo são outros lugares que proporcionam o contato e interação durante a estadia.

Experiências diferenciadas de olho na Geração Y

O The Student não é o único a fazer isso. Com o maior número de turistas da geração Y explorando o ramo, as redes criam novos conceitos para atraírem esse público-alvo e driblarem a concorrência. As novas marcas vieram para retomar o seu espaço no mercado com ideias refrigeradas e disruptivas.

A rede AccorHotels lançou esse ano o JO&JOE, um conceito de hospitalidade que engloba um o que há de melhor das modalidades hotel, hostel e aluguel privado. O objetivo da rede é conquistar o público e manter uma rápida expansão, chegando a 50 locais diferentes até 2020.

O primeiro JO&JOE conta com uma área de mais de 10 mil m² de jardins, ambientes de socialização, bares, menus completos, áreas com cozinhas e lavanderias. As reservas podem ser feitas para quartos coletivos ou privados e, como o The Student, aceitam hospedes de curta e longa duração, com benefícios exclusivos para cada um deles.

Nhow é um novo conceito em Berlim, que visa proporcionar a experiência de uma hospedagem musical. Os visitantes desfrutam de festas, aproveitam de boa música ou mesmo podem criar a sua própria com guitarras e teclados entregues no próprio quarto. Ele pode também conferir as novidades do momento em um dos dois estúdios que ficam localizados no hotel.

A festa também não para no Moxy, marca da rede Marriott. O hotel boutique se considera com “alma de hostel”: o bar está sempre aberto e as áreas comuns propiciam o contato de quem se hospeda por lá. A decoração dos quartos é um destaque: após pesquisas que mostravam o baixo uso de guarda-roupas, a administração decidiu eliminá-los, garantindo uma área privativa mais ampla.

moxy

O Tru, do Hilton, também tem o conceito de proporcionar contatos e experiências. Com wi-fi livre e ilimitado para os hóspedes, o local abriga um grande lobby com infraestrutura para diversas atividades, como jogar games na área de vídeo, realizar trabalhos à distância nas mesas de coworking, cuidar do corpo na academia ou mesmo fazer compras no mercado do hotel.

Concluindo

A ascensão do AirBNB e de outros aplicativos que concorrem com os hotéis trouxeram uma mudança importante ao mercado e à qual os grandes empreendimentos não podem ficar indiferentes.

É preciso, sobretudo, avançar no sentido de oferecer experiências de valor para os clientes que vão além da própria hospedagem, investir em ações que façam aquele momento se tornar inesquecível e, assim, obter um importante diferencial de mercado.

Quem não se atentar a este cenário, seguirá competindo apenas por preço com essas tecnologias que só tendem a crescer nos próximos anos, tornando o seu negócio inviável no médio e longo prazos.